domingo, 28 de março de 2010

Urge, Urgente, Urgentissimo.........



Há um clamor geral!

Alguma coisa tem que ser feita!

Blogs, Sites, Jornais e Revistas, Púlpitos e Radio, Televisão mostram a quantas anda o povo chamado de Deus.

Alheios, relapsos, morbidamente festivos, show para entretenimentos, passatempos vários, mensagens frias e destituídas da unção que confronta o pecador a ser compungidos em seus corações.

Mensagens que massageiam egos e agrada auditórios!

Entretenimento de bodes e esquecimento do alimento que deve ter quando estamos aos pés do Senhor!

Não reclama-mos quando estamos diante da TV, Internet, passatempos preferidos, mas...ai daquele que ultrapassar o limite do horario determinado do culto!

Urge!

É Urgente que busquemos ao Senhor!

"Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra."

2 Crônicas 7:14

Pensamento: Muitas vezes esta passagem é enfatizada quando falamos sobre os problemas com países e governos.

Mas vamos lembrar que sua aplicação mais verdadeira deve ser encontrada dentro de nós e nas nossas congregações.

Podemos começar um reavivamento no nosso país se nos comprometermos à oração diária, jejum semanal e corações ansiando por Deus para entrar no nosso mundo para transformá-lo.

Oração: Ó Deus, pai de todas as nações e povos, por favor, entre no nosso mundo com sinais claros do seu poder e graça.

Chame os seus ao  ao Senhor através de nós.

Use-nos para sermos os primeiros frutos de renovação e restauração.

Em nome de Jesus.

Amém.

sexta-feira, 26 de março de 2010

1ª Conferência de Educação Teológica


O culto de abertura da 1ª Conferência de Educação Teológica realizada pelo Conselho de Educação e Cultura da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, com o apoio do Conselho de Doutrina, da Comissão de Apologética e da Casa Publicadora das Assembleias de Deus, foi realizado nesta sexta-feira 19/03, no Templo da Assembleia de Deus em Santos-SP (Pr. Jesiel Padilha), com a presença de pastores, diretores, professores e alunos de teologia de várias regiões do Brasil.
O pastor José Wellington B. da Costa (Presidente da CGADB) foi o preletor da noite. Em sua mensagem deu ênfase a necessidade de se refletir acerca de algumas práticas, costumes e doutrinas que tentam se infiltrar na igreja trazendo vários prejuízos.

O evento foi sem dúvida um marco histórico para as Assembleias de Deus no Brasil.


Da esquerda para a direita: Pr. Terrency Johnson (membro do CEC/CGADB e Diretor Presidente da EETAD), Pr. Jesiel Padilha (membro do CEC/CGADB e Pastor Presidente da AD em Santos CONFRADESP), Pr. Emanoel Silva (Secretário do CEC/CGADB), Pr. Paulo Freire da Costa (Presidente do Conselho de Doutrina), irmã Wandra Freire (Líder da UNEMAD), Pr. José Wellington B. da Costa (Presidente da CGADB), Pr. Douglas Roberto (Presidente do CEC/CGADB) e Pr. Altair Germano (Vice-Presidente do CEC/CGADB)
 

O pastor e cantor Vitorino Silva participou do Culto de Abertura da 1ª Conferência de Educação Teológica
 
 
Visão panorâmica do Culto de Abertura da 1ª Conferência de Educação Teológica na Assembleia de Deus em Santos-SP (CONFRADESP)

quinta-feira, 25 de março de 2010

A Igreja do Amanhã

A Igreja do Amanhã


Andrew Strom

Tradução de João A. de Souza Filho

Fonte: www.revivalschool.com



Muita gente lerá este artigo e se perguntará: Pra onde foi todo mundo?

Qual é o alvo?

A resposta corriqueira pode ser?

Queremos ser como a igreja do Novo Testamento.

Mas, como era a igreja do Novo Testamento?

Este é um tema importante – e sobre o qual venho pensando nos últimos anos.

Como seria a igreja daquela época se conseguíssemos vê-la em nossos dias?

Em nossas cidades?

Pra começar, esqueça a igreja de hoje por uns instantes – com todos seus problemas e contradições, e imagine algo diferente.

Quero que você se imagine vivendo na mesma cidade, no mesmo ano, mas você se encontra exatamente no meio de uma cena típica dos Atos dos Apóstolos.

Alguma coisa, na realidade, mudou.

Sei lá por que todas as pessoas cheias do Espírito Santo em sua cidade abandonaram suas denominações e suas estruturas divisionistas.

Começaram a cumprir a oração de Jesus de “que todos sejam um”.

Esses cristãos se reúnem em grandes concentrações por toda parte da cidade, ao ar-livre.

E, da mesma maneira, em cada rua existe uma casa onde algumas pessoas daquela rua se reúnem para comer e ter comunhão, etc.

Isto é, ali se reúne a igreja da vizinhança!

O poder de Deus nessas reuniões caseiras é impressionante.

Milagres e curas ocorrem.

Os dons fluem livremente o dia todo.

Parece que os grandes templos e catedrais estão vazios.

Os cristãos não querem mais se esconder dentro de quatro paredes.

Reúnem-se onde o povo está, falando de Jesus pra todo mundo.

Querem ser de fato, um corpo.

Nenhum templo da cidade é grande o suficiente para conter a multidão.

Os homens que lideram esse movimento não se parecem com os “reverendos” ou os “tele-evangelistas” do passado.

Na realidade alguns deles nunca frequentaram uma escola de teologia, e são pessoas simples, de origem pobre.

Mas, que unção!

Está claro aos olhos de todos que esses apóstolos e profetas (como são conhecidos) gastaram anos em oração e quebrantamento diante de Deus – vivendo cada vez mais em comunhão com Deus.

Quando falam, o temor do Senhor se apodera das pessoas, e muita gente se arrepende de seus pecados.

Os demônios são expulsos, cegos curados, paralíticos andam – coisas assim acontecem o tempo todo.

A cidade está perplexa e milhares e milhares são salvos.

As notícias são estampadas na tevê e nos jornais.

Quando alguém se arrepende é imediatamente batizado, e recebe imposição de mãos para ser cheio do Espírito Santo.

Isso vem acontecendo desde o primeiro dia!

E também se espera que cada crente exerça seus dons – e são encorajados a praticarem seus dons espirituais. Não existe diferença entre “ministros” e “leigos”.

Todos são ministros de Deus, contudo, existem anciãos ou presbíteros, isto é, pessoas idôneas que supervisionam tudo isso.

Pastores e bispos de várias denominações dizem que isto faz parte de um “espírito de engano” e alertam o povo pra se manterem distantes de tudo.

(Cada avivamento na história teve seus acusadores e perseguidores, geralmente os líderes religiosos).

Mas, honestamente, é tão óbvio ao povo que Deus está por trás dos acontecimentos que ninguém os leva a sério.

O Espírito de Deus se move, e a glória de Deus desce entre as pessoas.


A razão por que alguns desses líderes estão contra é que as ofertas não vão mais para o templo, mas são distribuídas entre o povo pobre.

De fato, Deus falou às pessoas para que elas comecem a ajudar as viúvas pobres e crianças de ruas e órfãos ao redor do mundo.

Os cristãos que têm necessidade são imediatamente supridos.

Tem gente que vendeu aquelas propriedades extras – casas de praias e de serra, para doar aos pobres.

O tema central deste grande movimento é amor.

“Olhem, como essa gente se ama”!

Dizem as pessoas.

E as pessoas oram como nunca antes oraram.

E assim, reunindo-se como “um só povo” ao ar-livre, e partindo o pão de casa em casa, essa gente come com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e ganhando o apoio de todo o povo.

E o Senhor acrescenta diariamente os que vão sendo salvos.
Isso poderia acontecer?

O que descrevi acima está no livro dos Atos dos Apóstolos, apenas contextualizado para os nossos dias.

Tudo que escrevi é para dar a voce a idéia de como seria sua vida se você estivesse residindo na cidade de Jerusalém no livro de Atos.

Imagine o impacto dessa igreja no mundo de hoje.

E Deus quer usar pessoas comuns, como você e eu pra que isso volte a acontecer.

Não creio que devemos imaginar que a igreja primitiva era um “caso especial”.

Os registros do livro de Atos foram-nos deixados como exemplo do que é normal e do que deveria ser a igreja em todos os tempos.

Mesmo assim, quão distante estamos dessa igreja!

Apenas em tempos de avivamento conseguimos nos aproximar do modelo acima.

Creio que o que aconteceu em Atos deveria ser uma coisa normal, diária.
No entanto, uma coisa é certa: Seria bom que isso voltasse a acontecer.

Mas, esteja certo de uma coisa: Para que isto volte a ocorrer a hierarquia religiosa dominante, diretorias de igrejas e conselhos têm de desaparecer.

E muita gente não quer perder o poder.

Elas sequer se interessam pela verdade. Tudo que afeta a posição de liderança e a organização denominacional tem de ser descartado.

Não é possível uma transição “suave” para este tipo de cristianismo; acredito que haverá um mover forte de Deus que romperá com tudo.

Está no programa de Deus.

Pode estar certo, meu irmão: Deus o fará!

Esta é a igreja do Novo Testamento que todos anelamos.

terça-feira, 16 de março de 2010

Aparentes contratempos...

Aparentes contratempos...


Conta-se que o conquistador mongol Genghis-Khan tinha, como animal domesticado, um belo falcão.
Como saía a caçar, era seu amigo inseparável.
Certo dia, numa jornada com o falcão, sentiu muita sede.
Aproximou-se de um rochedo de onde um filete de água límpida brotava...


Tomou de sua taça, encheu até à borda e a levou aos lábios.
No mesmo instante, o falcão se jogou contra a taça e o líquido caiu ao chão.
Genghis-Khan ficou muito irritado.
Levou a taça novamente até o filete de água e tornou a enchê-la.
De novo, antes que pudesse beber o primeiro gole, o falcão investiu contra sua mão, fazendo cair a taça e se perder a água.

Desta vez o impiedoso conquistador olhou firmemente para a ave e falou: Vou tornar a encher a taça. Se você a derrubar outra vez, você perderá a vida!
Segurando com a mão direita a sua espada mongol, com a esquerda tornou a encher a taça.
Mas no exato momento que a levava aos lábios, o falcão voou rápido e a derrubou novamente.
Ágil, como ele só, Genghis-Khan sacou a espada e, em pleno ar, decepou a cabeça do falcão.
Ainda com raiva, chutou para longe o corpo do animal.

E porque a taça agora se tivesse quebrado, subiu pelas pedras para beber no ponto mais alto do rochedo, onde imaginou fosse a nascente da fonte.
Surpreso, descobriu presa entre as pedras, bem no meio da nascente, uma enorme serpente venenosa. O animal estava morto há tempo, pois mostrava sinais de decomposição e um cheiro insuportável...

Tardiamente o grande conquistador se deu conta do que realmente o falcão fizera.
Por três vezes lhe salvou a vida, pois aquela água contaminada, uma vez ingerida, teria trazido doença e mesmo a morte. Profundamente arrependido, lamentou com muita tristeza o gesto impensado que o levara a matar o animal – seu leal amigo!



* * *
Assim, também, muitas vezes somos nós.

A Providência Divina estabelece muitas formas de auxílio, mas não as entendemos.

Ao contrário, nos rebelamos.

Por vezes, a presença de Deus em nossa vidas ocorre por meio de sábios conselhos de amigos.
Contudo, não lhes damos atenção, nos irritamos, e, por vezes, até rompemos com velhas amizades.
Outras vezes, Deus faz que algo que desejamos intensamente, não se concretize.
Algo que almejamos: um concurso, uma viagem, um prêmio, uma festa ou determinado emprego.
Então já é o suficiente para gritarmos contra o Pai, sentindo-nos abandonados e esquecidos de Seu apoio.

Raras vezes paramos pra pensar sobre o que nos está acontecendo.
Quase nunca paramos pra perguntar:
Não será a mão de Deus agindo, para me dizer que este não é o melhor caminho?
Nada ocorre por acaso.

Você nunca se deu conta que um engarrafamento que o detenha no trânsito, ou um contratempo à saída de casa, retardando-o em seus horários, talvez o impeçam de participar de um acidente mais adiante?

Providência Divina.
Esteja atento.
Busque entender as pequenas mensagens que Deus lhe envia continuamente.

Não se irrite, não se altere.
Ao contrário, agradeça sempre!

Deus está agindo em seu favor, em todos os momentos e circunstâncias!

segunda-feira, 15 de março de 2010

GRATIDÃO E CELEBRAÇÃO MARCAM AS COMEMORAÇÕES DOS 70 ANOS DA CPAD

A Casa Publicadora das Assembleias de Deus - CPAD, realizou neste sábado, no Centro de Convenções SulAmérica, na cidade do Rio de Janeiro, o culto de gratidão a Deus pela passagem dos seus 70 anos de fundação.

A cerimônia, dirigida pelo pastor Claudionor de Andrade (Gerente de Publicações da CPAD), contou com a participação de pastores de todos os estados do Brasil, funcionários e demais convidados.

Na ocasião, o irmão Ronaldo Rodrigues de Souza (Diretor Executivo da CPAD) agradeceu a colaboração de todos aqueles que já trabalharam na Casa, e que cooperaram para o seu crescimento. Os atuais funcionários foram também lembrados e parabenizados.

Em sua fala, o pastor José Wellington Costa Júnior (Presidente do Conselho Administrativo da CPAD) declarou que "a CPAD existe para atender o povo de Deus".

O pastor José Wellington Bezerra da Costa (Presidente da CGADB), com base em Isaías 13.2-4, enfatizando a necessidade de um viver santo e da busca pelo poder de Deus, destacou que "o Senhor não vem buscar uma igreja parecida com o mundo. O Senhor vem buscar uma igreja parecida com Jesus".

Os cantores Victorino Silva, Lília Paz, Marcelo Santos e Sumara Santos, todos eles da Patmos Music, juntamente com o coral da UCADERJ, coral e orquestra da AD em Cordovil e orquestra da AD Ilha da Conceição deram a sua contribuição musical.


VISÃO PANORÂMICA DA TRIBUNA DE HONRA
 
VÁRIOS PASTORES PRESTIGIARAM O EVENTO
PASTOR JOSÉ WELLINGTON COSTA JÚNIOR (PRESIDENTE DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DA CPAD),PASTOR JOSÉ WELLINGTON COSTA JÚNIOR (PRESIDENTE DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DA CPAD). Ao fundo Pr. Daniel Acioli, Presidente da AD Apucarana e membro do Conselhop Administrativo da CPAD.

PASTOR JOSÉ WELLINGTON B. DA COSTA (PRESIDENTE DA CGADB - CONVENÇÃO GERAL DE MINISTROS DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL) ACOMPANHADO DE SUA ESPOSA IRMÃ WANDA FREIRE DA COSTA (LÍDER DA UNEMAD - UNIÃO DAS ESPOSAS DE MINISTROS DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS)
IRMÃO RONALDO RODRIGUES DE SOUZA (DIRETOR EXECUTIVO DA CPAD)




segunda-feira, 8 de março de 2010

ORQUESTRA KAIRÓS - MÚSICA PRELÚDIO

Salmos 150

1 Louvai ao SENHOR! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder.
2 Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza.
3 Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa.
4 Louvai-o com o adufe e a flauta; louvai-o com instrumento de cordas e com flautas.
5 Louvai-o com os címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes.
6 Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR!




NÓS DA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM APUCARANA PROCURAMOS CUMPRIR DIARIAMENTE ESTE SALMO, POIS ATRAVÉS DO LOUVOR NOS APRESENTAMOS DIANTE DE DEUS COM SENTIMENTO DE GRATIDÃO.



ACOMPANHE NESTE VÍDEO A ORQUESTRA KAIRÓS EXECUTANDO A MÚSICA PRELÚDIO.

























quinta-feira, 4 de março de 2010

Igreja, é o que estamos vendo por aí?

Na Linguagem comum, o vocábulo Igreja tem um significado muito amplo.

É aplicado ao edifício em que se realiza o culto cristão;

A uma congregação de adoradores crentes;

A um estabelecimento religioso;

A determinado tipo de ordem eclesiástica;

Ao conjunto de todos os crentes em Cristo, e a um grupo local de discípulos cristãos associados num pacto com propósitos religiosos.

Este último significado é o comumente encontrado no Novo Testamento.

O vocábulo igreja vem da palavra grega “Ekklesia”, que significa “chamado para fora”, “Ek” para fora, e “klesis”, chamado.

Entre os gregos, o termo designava um grupo de pessoas dotadas do privilégio e cidadania incumbidos de certas funções públicas administrativas importantes, convocado, ou chamado para fora, dentre a massa comum do povo.

No Novo Testamento, a “Ekklesia” é um grupo de pessoas chamadas e separadas da multidão comum, em virtude de uma vocação divina, escolhida para serem santas, investidas nos privilégios e incumbidas dos deveres de cidadania no reino de Cristo.

Conforme o NT, uma igreja cristã é um grupo de pessoas divinamente chamadas e separadas do mundo,

Batizadas sob profissão de sua fé em Cristo,

Unidas em aliança para o culto e o serviço cristão,

Sob suprema autoridade de Cristo, cuja Palavra é sua única lei e regra de vida em todas as questões de fé e prática religiosa.

A igreja é a representante de Deus na terra;

É o corpo de Cristo e o meio através do qual ele se expressa ao mundo.

É o único órgão de redenção que Deus tem no mundo.

A igreja é um organismo divino (o Corpo de Cristo) em meio a ambiente estranho.

O que é, ou não é a Igreja!

A Igreja não é um edifício material – hierosulos (At 9.37);

A Igreja não é uma denominação;

A Igreja é o fundamento de Cristo (Mt 16.18);

A Igreja não é um empreendimento nacionalista;

A Igreja é o povo de Deus dentro da raça humana (Gl 3.28);

A Igreja não é a continuação do judaísmo (Mt 9.16);

A Igreja é o vinho da nova aliança em novos odres ;

A Igreja não é o reino de Deus.

“O reino de Deus é mais amplo que a Igreja e envolvem o universo, as hostes angelicais bem como os santos do Antigo Testamento”;

A Igreja não é um plano parentético de Deus;

A Igreja é o fruto da vontade de Deus (Ef 1.2-11);

A Igreja é o eterno propósito de Deus (Rm 8.26-30); propósito de Deus define-se assim:

a) definido em vista (Ef 3.11).

b) No grego protithemai: colocar diante de, expor, principalmente para ser contemplado (Ef 3.11).

A Igreja é o mistério de Deus (Dt 29.29);

A Igreja é a Nação Santa (1Co 10.32);

As etnias na raça humana, judeus, gentios, e a Igreja de Deus;

A Igreja é uma fraternidade (Koynonia).

Serial Killer e nem sabe....Ou sabe?

(Mt 5.21-25)



Ao interpretar a lei, Jesus desceu à raiz do mal: As causas geradoras das atitudes e dos atos.

Para ele o mal não reside somente no ato consumado, mas nos motivos e tendências que se aninham no coração do homem.

Por isso Jesus classificou de réu, sujeito às penalidades, aqueles que, embora não tenham de fato matado alguém, em seu coração deu lugar ao sentimento que pode produzir um assassinato, que é a cólera, a malícia e a maledicência.

Juízo era um tribunal regional constituído de sete homens e que tinha direito de condenar o réu à morte de espada.

Além disso, Jesus ensinou que o mandamento “não matarás”, compreende também o respeito à personalidade do próximo, e não somente à sua vida.

A injúria, o vilipêndio , o menosprezo, a afronta ao semelhante são pecados tão horrorosos quanto o homicídio.


Por isso Jesus ensinou que chamar o irmão de “raca” se constituía crime digno de ser julgado pelo sinédrio.

Esse era um tribunal constituído de setenta homens e podia condenar à morte por apedrejamento e ainda mais, se alguém chamasse o outro de louco, seria réu do fogo do inferno (Mt 5.22).

Chamar alguém de louco era o mesmo que considerá-lo como refinado materialista e tremendamente profano, que não valia nada.

Segundo Jesus, a respeito do sexto mandamento envolve, não é apenas a vida, mas também a própria personalidade da pessoa, seu nome e a sua honra.

REI DAVI....... Do Pastoreio ao Trono de Israel.... Davi, o filho mais novo de Jessé                                            - I...