terça-feira, 23 de novembro de 2010

Um Novo Jargão nos Arraiais Eclesiásticos: Autoridade Máxima!

Um Novo Jargão nos Arraiais Eclesiásticos: Autoridade Máxima!

Nos últimos dias tenho ouvido e sabido desta nova afirmação...

Sou a Autoridade Maxima da Igreja aqui!

Outros: Ele é a autoridade maxima!

Que mudança de pensamento em relação á Igreja estamos tomando?

O dicionário Aurélio define "autoridade" como:


"1.Direito ou poder de se fazer obedecer, de dar ordens, de tomar decisões, de agir, etc.

2. Aquele que tem tal direito ou poder. [...]

5. Poder atribuído a alguém; domínio.

6. Influência, prestígio, crédito. [...]."

Define "autoritário" como:

"1.Relativo a autoridade.

2. Que se baseia na autoridade, despótico.

3. Que procura impor-se pela autoridade.

4. Altivo, impositivo, dominador, arrogante.

5.Impetuoso, violento, impulsivo."

Define "líder" como:

"1. Indivíduo que chefia, comanda e/ou orienta, em qualquer tipo de ação, empresa ou linha de idéias.

2.Guia, chefe ou condutor que representa um grupo, uma corrente de opinião, etc. [...]."


E por fim, define "liderança" como:

"1. Função de líder.

2.Capacidade de liderar, espírito de chefia.

3.Forma de dominação baseada no prestígio pessoal e aceita pelos dirigidos".

Não nos iludamos.

Numa Igreja ou ministério eclesiástico nada ocorre de baixo para cima.

Ou os dirigentes dão o exemplo ou nada ou pouco ocorrerá.


Não adianta falar.

Não adianta fazer discursos.

Não adianta colocar faixas.

Não adianta falar: Ele é a Autoridade Máxima da......

Não adianta dizer frases de efeito e exortações para a qualidade, a cortesia, para a prestação de serviços.

Se os dirigentes não tiverem um genuíno comportamento e atitudes "exemplares" tudo ficará no discurso, na intenção e pouco ocorrerá de concreto, de efetivo dentro da Igreja no dia-a-dia.

Essa é a verdade, nua e crua.

Se você chega numa Igreja e é friamente ou rispidamente atendido na recepção, pode ter certeza, o pastor trata as pessoas e obreiros, fria e rispidamente.

Se você é tratado com descortesia no estacionamento de uma Igreja, pode ter certeza de que o Pastor desta trata as pessoas com descortesia.

Se você adentrar uma Igreja ou Ministério tem dificuldades em ser atendido com uma reclamação ou pedido, pode ter certeza – a diretoria e o ministério daquela agremiação têm uma atitude negativa em relação as solicitações de seus membros!

E assim por diante.

Os membros de uma Igreja, Ministério repetem as atitudes e comportamentos de suas lideranças.

Acredite!

Assim é através do exemplo e das pequenas atitudes e comportamentos que emitimos no dia-a-dia que passamos a visão e os valores de nossa conduta com as mesmas.

Não adiantam os conchavos, acertos de bastidores e a não prestação de relatórios dignos de confiabilidade se não houver o exemplo da liderança, principalmente nas pequenas coisas.

“Você pode enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não consegue enganar todas por todo o tempo”.

Há muitos que gastam tempo e recursos em sites, jornais, revistas, fotografias (Argh! certos blogs e sites deveriam ser chamados de: Álbum de Fotos), banners, relatórios extensos e que não dizem nada!

São folhetos, faixas, pôsteres e até “companheiros de mesa” falando e disseminando o conceito e a importância daquela “autoridade máxima”!

Na prática, pouca eficácia tem essas falácias.

Por quê?

Porque a liderança daquela Igreja, Ministério, não está "de fato" comprometida com a verdadeira liderança bíblica!

E isso é demonstrado a cada momento, a cada comportamento, a cada decisão da diretoria.

Na hora de escolher Membros, Pastores, Ministros, Diretores das Entidades daquela agremiação eclesiástica, para o exercício e trabalho cristão, escolhe-se não pela qualidade, mas pelo acerto antes da eleição da “autoridade máxima”.

A seriedade e comprometimento com a obra de Deus ficam no "discurso".

Mas na prática, os comportamentos emitidos pela “autoridade máxima” vão em direção totalmente oposta ao compromisso com Deus!

Na prática os pastores e obreiros são considerados impertinentes quando solicitam alguma atenção especial.

Na prática são mal atendidos pela diretoria.

Na prática, os dirigentes são inacessíveis aos mesmos.

Na prática tudo o que puder ser "tirado" do crente é a regra do dia-a-dia.

Enquanto a “autoridade máxima,” dirigentes e "líderes" não tiverem consciência de que se não derem o exemplo de atendimento, qualidade, comprometimento, atenção aos detalhes, educação, cortesia, transparência, respeito, etc.,

Nada ocorrerá naquela Igreja, estaremos vivendo a mentira dos meios usados para enfeitar o discurso e nada de exemplo prático!

Continuaremos ouvindo repetidamente as mesmas evasivas, que nossa presença é muito importante para a agremiação e continuaremos a receber o tratamento frio, descortês, descomprometido e sem os resultados que esperamos, como meros expectadores!

Quanta diferença da liderança de Jesus Cristo!

Mateus 11. 28-30

sábado, 20 de novembro de 2010

Meus Irmãos, teoria e prática quanta diferença!!!

Irmão Especial


Um amigo meu chamado Paul ganhou um automóvel de presente de seu irmão no Natal.

Na noite de Natal, quando Paul saiu de seu escritório, um menino de rua estava andando em volta do reluzente carro novo, admirando-o.

-- Este carro é seu, senhor ?

- ele perguntou.

Paul assentiu.

-- Meu irmão me deu de Natal.

O garoto ficou boquiaberto.

-- Quer dizer que foi um presente de seu irmão e não lhe custou nada?

-- Rapaz, quem me dera... - hesitou ele.

É claro que Paul sabia o que ele ia desejar.

Ele ia desejar ter um irmão como aquele.

Mas o que o garoto disse chocou Paul tão completamente que o desarmou.

-- Quem me dera - continuou o garoto - ser um irmão como esse.

Paul olhou o garoto com espanto, e então, impulsivamente, acrescentou:

-- Você gostaria de dar uma volta no meu automóvel?

-- Oh, sim, eu adoraria.

Depois de uma voltinha, o garoto virou-se e, com os olhos incandescentes, disse:

-- O senhor se importaria de passar em frente a minha casa ?

Paul deu um leve sorriso.

Pensou que soubesse o que o rapaz queria.

Ele queria mostrar para os vizinhos que podia chegar em casa num carrão.

Mas Paul estava novamente enganado.

-- Pode parar em frente aqueles dois degraus ? perguntou o garoto.

Ele subiu correndo os degraus.

Então, passados alguns momentos, Paul ouviu-o retornar, mas ele não vinha depressa.

Carregava seu irmãozinho paralítico.

Sentou-o no degrau inferior e depois de fortemente abraça-lo apontou o carro:

-- Ai está ele, amigão, exatamente como eu te contei lá em cima.

O irmão deu o carro a ele de presente de Natal e não lhe custou nem um centavo.

E algum dia eu vou te dar um igualzinho... então você poderá ver com seus próprios olhos, nas vitrines de Natal, todas as coisas bonitas sobre as quais eu venho tentando lhe contar.

Paul saiu do carro e colocou o rapaz no banco da frente.

O irmão mais velho, com os olhos brilhando, entrou atrás dele e os três deram uma volta comemorativa.

Naquela noite, Paul aprendeu que a felicidade maior sentimos quando a proporcionamos a alguém.

Que hoje seja um dia muito especial pra você!

sábado, 13 de novembro de 2010

A Pena do Pavão

Conta uma lenda árabe que um nômade do deserto resolveu certo dia, mudar de oásis.

Reuniu todos os utensílios que possuía e de modo ordenado, foi colocando-os sobre o seu único camelo.

O animal era forte e paciente.

Sem se perturbar, foi suportando o peso dos tapetes de predileção do seu dono.

Depois, foram colocados sobre ele os quadros de paisagens árabes, maravilhosamente pintados.

Na seqüência, foram acomodados os objetos de cozinha, de vários tamanhos.

Finalmente, vários baús cheios de quinquilharias.

Nada podia ser dispensado.

Tudo era importante.

Tudo fazia parte da vida daquele nômade, que desejava montar o novo lar, em outras paragens, de igual forma que ali o tinha.

O animal agüentou firme, sem mostrar revolta alguma com o peso excessivo que lhe impunha o dono.

Depois de algum tempo, o camelo estava abarrotado.

Mas continuava de pé.

O beduíno se preparava para partir, quando se recordou de um detalhe importante: uma pena de pavão.

Ele a utilizava como caneta para escrever cartas aos amigos, preenchendo a sua solidão, no deserto.

Com cuidado, foi buscar a pena e encontrou um lugarzinho todo especial, para colocá-la em cima do camelo.

Logo que fez isso, o animal arriou com o peso e morreu.

O homem ficou muito zangado e exclamou:

Que animal mole!

Não agüentou uma simples pena de pavão!

Por vezes, agimos como o nômade da história.

Não é raro o trabalhador perder o emprego e reclamar: Fui mandado embora, só porque cheguei atrasados 10 minutos.

Ele se esquece de dizer que quase todos os dias chegava atrasado 10 minutos.

Outro diz: Minha mulher é muito intolerante.

Só por que não dei a atenção devida a ela?.

A realidade é que ele desde a lua de mel muitas vezes a ignora e não se importa com a esposa, tornando-se inconveniente e até agressivo.

Há pessoas que vivem a pedir emprestado dinheiro, livros, roupa para ir a uma festa, uma lista infindável.

E ficam chateadas quando recebem um não da pessoa que já cansou de viver a emprestar!

Costuma-se dizer que é a gota d'água que faz transbordar a taça.

Em verdade, todo ser humano tem seu limite.

Quando o limite é ultrapassado, fica difícil o relacionamento entre as pessoas.

No trato familiar, são as pequenas faltas, quase imperceptíveis, que se vão acumulando, dia após dia.

É então que sucumbem relacionamentos conjugais, acabam casamentos que pareciam duradouros.

Amizades de longos anos deterioram.

Empregos são perdidos, sociedades são desfeitas.

Tudo se deve ao excesso de reclamações diárias, faltas pequenas, mas constantes, pequenos deslizes, sempre repetidos.

Mentiras que parecem sem importância.

Todavia, sempre renovadas.

Um dia surge em que a pessoa não suporta mais e toma uma atitude que surpreende a quem não se dera conta de como a sobrecarregara, ao longo das semanas, meses e anos.

Fique atento em todas as suas atividades diárias.

Não deixe que suas ações prejudiquem a outros, mesmo que de forma leve.

Não descarregue nos outros a sua frustração ou insatisfação.

Preze as amizades.

Preserve a harmonia do ambiente familiar.

Seja você, sempre, quem tolere, compreenda e tenha sempre à mão uma boa dose de bom senso.

É importante notar que Igrejas e Ministérios estão se levantando em todo o Brasil e desligando de suas Convenções Estaduais, Regionais.

Qual a razão disto?

Insubordinação?

Interesse financeiro?

Gosto pela cadeira de presidente?

Ouvidos moucos de líderes absolutos e que desprezam os que estão nas lides há mais tempo?

O que há afinal?

Reuniões infindáveis que servem apenas para marcar outra reunião!

Relatórios infindáveis que não comunicam nada!

Atitudes precipitadas que redundam em pedidos posteriores de desculpas pelo erro grosseiro ao não observar as regras estatutárias!

A Ganância pelo dinheiro é evidente, muitos não se importam, pois perderam a noção que aquele dinheiro veio do membro humilde da Igreja!

Para não falar daqueles que vai á reunião e dela não participam!

E os que dirigem a reunião e se alguem ousar falar o que sente sobre o assunto, é achincalhado publicamente!? ( Isso é próprio de Hitleristas do poder)!

É a viagem para este ou aquele lugar, nos bastidores os acertos são feitos de forma que se leva vantagem, os preços majorados vão patrocinar a fome financeira do "sabichão”... isto é lamentável!

E as mudanças de líderes?

Cartas marcadas que servirão no futuro!

Onde está a direção de Deus?

Pois se a Igreja é o corpo de Cristo e eu sou um Pastor, devo estar na sua direção!

Mas, o que está acontecendo?

Muda-se pelo interesse de fazer da Igreja um trampolim e a visão é simples: Maior a Igreja ou campo, maior o poder de influência sobre os “pequenos”!

A autoridade deve vir de uma vida ilibada, integridade moral, vida de altar, Unção de Deus, não de conchavos e pagamentos de favores!

Essa pena de pavão tem provocado a morte de muito camelo por aí!

Pense comigo: Como pastor assumo um campo ministerial fora da direção de Deus é óbvio que o que foi substituído saiu também da direção divina e isto faz uma corrente interminável de homens sem a aprovação de Deus diante de Igrejas, e é por esta razão que muitos estão com a mala nas costas, não pára em lugar nenhum!

Depois afirmam que a Igreja/Campo é ruim, o povo é mal ensinado, sem formação..

Pelo amor de Deus, isto não é verdade!

A Igreja é uma benção!

Tenhamos cuidado pois com a pena do pavão, depois não adianta chorar com o  leite derramado.

Pense nisto!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

.....PAI....TÔ COM FOME!!!!!!!!!!!!!!!

Vale a pena ler!!!!

Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou:

- Pai, tô com fome!!!

O pai, Agenor , sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência....

- Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu tô com muita fome, pai!!!

Envergonhado, triste e humilhado em seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na padaria a sua frente...

Ao entrar dirige-se a um homem no balcão:

- Meu senhor, estou com meu filho de apenas 6 anos na porta, com muita fome, não tenho nenhum tostão, pois sai cedo para buscar um emprego e nada encontrei, eu lhe peço que em nome de Jesus me forneça um pão para que eu possa matar a fome desse menino, em troca posso varrer o chão de seu estabelecimento, lavar os pratos e copos, ou outro serviço que o senhor precisar!!!

Amaro , o dono da padaria estranha aquele homem de semblante calmo e sofrido, pedir comida em troca de trabalho e pede para que ele chame o filho...

Agenor pega o filho pela mão e apresenta-o a Amaro, que imediatamente pede que os dois sentem-se junto ao balcão, onde manda servir dois pratos de comida do famoso PF (Prato Feito) - arroz, feijão, bife e ovo...

Para Ricardinho era um sonho, comer após tantas horas na rua....

Para Agenor , uma dor a mais, já que comer aquela comida maravilhosa fazia-o lembrar-se da esposa e mais dois filhos que ficaram em casa apenas com um punhado de fubá...

Grossas lágrimas desciam dos seus olhos já na primeira garfada...

A satisfação de ver seu filho devorando aquele prato simples como se fosse um manjar dos deuses, e lembrança de sua pequena família em casa, foi demais para seu coração tão cansado de mais de 2 anos de desemprego, humilhações e necessidades...

Amaro se aproxima de Agenor e percebendo a sua emoção, brinca para relaxar:

- Ô Maria!!! Sua comida deve estar muito ruim... Olha o meu amigo está até chorando de tristeza desse bife, será que é sola de sapato?!?!

Imediatamente, Agenor sorri e diz que nunca comeu comida tão apetitosa, e que agradecia a Deus por ter esse prazer...

Amaro pede então que ele sossegue seu coração, que almoçasse em paz e depois conversariam sobre trabalho...

Mais confiante, Agenor enxuga as lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome já estava nas costas...

Após o almoço, Amaro convida Agenor para uma conversa nos fundos da padaria, onde havia um pequeno escritório...

Agenor conta então que há mais de 2 anos havia perdido o emprego e desde então, sem uma especialidade profissional, sem estudos, ele estava vivendo de

pequenos 'biscates aqui e acolá', mas que há 2 meses não recebia nada...

Amaro resolve então contratar Agenor para serviços gerais na padaria, e penalizado, faz para o homem uma cesta básica com alimentos para pelo menos 15 dias...

Agenor com lágrimas nos olhos agradece a confiança daquele homem e marca para o dia seguinte seu início no trabalho...

Ao chegar em casa com toda aquela 'fartura', Agenor é um novo homem sentia esperanças, sentia que sua vida iria tomar novo impulso...

Deus estava lhe abrindo mais do que uma porta, era toda uma esperança de dias melhores...

No dia seguinte, às 5 da manhã, Agenor estava na porta da padaria ansioso para iniciar seu novo trabalho...

Amaro chega logo em seguida e sorri para aquele homem que nem ele sabia porque estava ajudando...

Tinham a mesma idade, 32 anos, e histórias diferentes, mas algo dentro dele

chamava-o para ajudar aquela pessoa...

E, ele não se enganou - durante um ano, Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento, sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres...

Um dia, Amaro chama Agenor para uma conversa e fala da escola que abriu vagas para a alfabetização de adultos um quarteirão acima da padaria, e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar...

Agenor nunca esqueceu seu primeiro dia de aula: a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta...

Doze anos se passam desde aquele primeiro dia de aula...

Vamos encontrar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros , advogado, abrindo seu escritório para seu cliente, e depois outro, e depois mais outro...

Ao meio dia ele desce para um café na padaria do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o 'antigo funcionário' tão elegante em seu primeiro terno...

Mais dez anos se passam, e agora o Dr. Agenor Baptista, já com uma clientela que mistura os mais necessitados que não podem pagar, e os mais abastados que o pagam muito bem, resolve criar uma Instituição que oferece aos desvalidos da sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de comida diariamente na hora do almoço...

Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele lugar que é administrado pelo seu filho , o agora nutricionista Ricardo Baptista...

Tudo mudou, tudo passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor impressionava a todos que conheciam um pouco da história de cada um...

Contam que aos 82 anos os dois faleceram no mesmo dia, quase que a mesma hora, morrendo placidamente com um sorriso de dever cumprido...

Ricardinho , o filho mandou gravar na frente da 'Casa do Caminho', que seu pai fundou com tanto carinho:

'Um dia eu tive fome, e você me alimentou. Um dia eu estava sem esperanças e você me deu um caminho. Um dia acordei sozinho, e você me deu Deus, e isso não tem preço. Que Deus habite em seu coração e alimente sua alma. E, que te sobre o pão da misericórdia para estender a quem precisar!!!'

(História verídica)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Ações de Graças, Pastor José Wellington Costa Junior

A Assembleia de Deus no Belenzinho realizou na noite de 01 de Novembro em seu templo-sede, culto em ação de graças por mais um ano de vida de seu pastor vice-presidente, José Wellington Costa Junior. O culto contou com aproximadamente 2 mil pessoas e foi dirigido pelo presidente da CGADB, CONFRADESP e Ministério do Belém, pastor José Wellington Bezerra da Costa.

No louvor o culto contou com a participação do coral e orquestra da sede, círculo de oração e orquestra da sede do setor 19 - Guarulhos; grande coral de senhoras do setor 53 - Itaim Paulista e da congregação do Brás, setor 102. O pastor presidente cantou com a igreja os hinos congregacionais conduzindo todos os presentes a adoração.

Na ocasião o pastor Roberto José dos Santos, presidente da AD - Convenção de Abreu e Lima/PE (COMADALPE) e 5º secretário da CGADB falou em nome da Convenção Geral das ADs no Brasil. O representante do conselho administrativo da CPAD foi o 1º vice-presidente, pastor Kemuel Sotero Pinheiro, líder da AD no Aribiri, ES. Em nome dos Gerentes, funcionários e toda editora falou o diretor-executivo, Ronaldo Rodrigues de Souza. Representando a Convenção e Ministério em São Paulo falaram os pastores; Emanuel Barboza Martins, líder da AD em Araçatuba e 1º tesoureiro da CONFRADESP e José Prado Veiga, líder do setor 03 - Lapa e 1º secretário da AD - Ministério do Belém.

O primeiro filho do casal, Wellington Junior e Lidia Costa; José Wellington Bezerra da Costa Neto homenageou o pai em nome dos irmãos, genro e nora. O pastor Samuel Freire da Costa, líder da AD em São Bernardo do Campo, setor 29 falou em nome dos irmãos, cunhadas, cunhados e sobrinhos. Os país do aniversariante, irmã Wanda e pastor José Wellington descreveram as qualidades do filho primogênito e o agradeceram por sempre ter sido um exemplo de filho, pai, irmão, esposo, tio e acima de tudo, exemplo de temente servo de Deus.

Além do 1º vice-presidente do conselho administrativo da CPAD que é presidido pelo aniversariante também marcaram presença homenageando o líder o 2º vice-presidente, pastor Demerval Lopes de Cerqueira que esteve acompanhado da esposa, irmã Railda Cerqueira; os secretários, pastores Orcival Pereira Xavier, líder da Convenção de Ministros das ADs em Brasilía e Goiás (COMADEBG), Lucifrancis Barbosa Tavares, presidente da Convenção das ADs no Amapá (CEMEADAP), os membros, pastores, Juvenil dos Santos Pereira, 2º secretário da CIADESCP e líder da AD em Florianópolis; Daniel Sales Accioli, líder da AD em Apucarana/PR e vários gerentes da casa. O pastor Cyro Mello, secretário adjunto da Convenção Geral também veio a SP para a festa.

Pastor Wellington Junior em suas palavras agradeceu a Deus pelo privilégio de comemorar mais um ano, aos pais pelo apoio e incentivo de sempre, a esposa, irmã Lidia pelo carinho e companheirismo, aos filhos pela compreensão sempre presente, a toda família e aos obreiros de toda denominação pelo respeito e consideração de cada um e ao conselho administrativo e toda família CPAD.

Ao final, o pastor Osmar José da Silva, presidente do campo da AD, Ministério do Belém na cidade de Sorocaba orou pelo aniversariante e família e abençoou os presentes fechando a reunião.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

JUBILEU DE OURO DA CIEADEP

Entre os dias 25 a 28 de Outubro do corrente ano, aconteceu na cidade de Foz do Iguaçu, no Hotel Carimã, a quinquagésima edição da AGO (Assembleia Geral Ordinária) da CIEADEP.

Os convencionais, mais de 1000, entre pastores e evangelístas, se reuniram para discutir assuntos de suma importância no que diz respeito ao seguimento do evangelho em nosso estado, principalmente nestes tempos de transição política.

O belo cenário, às margens das Cataratas, também foi palco para mais uma consagração de Ministros das  Assembleias de Deus do Estado do Paraná. Foram mais de 250 obreiros que na noite de quinta-feira (28/10) fizeram seu juramento perante os homens de Deus.

E a nossa maior alegria é apresentar os nomes dos Obreiros de Apucarana que foram consagrados.


Pastores:

Pr. Adovilson (Sede - Superintendente EBD)

Pr. Anderson (Vila Reis)

Pr. Claudemir (João Paulo)

Pr. Hildebrando (Sede - Conselho de Ética e Disciplina)

Pr. Josefino (Cx. São Pedro)

Pr. Daniel Rodrigo - centro (Jd. Trabalhista)

Pr. Nestor Frey (Jd. Marissol - Tenda "Cristo Liberta")


 Evangelistas:

Ev. Aurélio e esposa (Jd. Iguatemi)

Ev. Avacir (Rio Bom)

Ev. Paulo (Novo Itacolomi)


Confira as demais fotos:





AS MARCAS DO DISCIPULADO

AS MARCAS DO DISCIPULADO        Textos: Mateus 16.24 INTRODUÇÃO:  Paulo trazia no corpo as marcas de Cristo Jesus (Gl. 6.17).    ...