domingo, 12 de outubro de 2014

Exemplo de Pastor!


Fazendo uma breve reflexão em particular sobre legados e exemplos deixados por homens de Deus, lembrei-me deste homem de Deus!
Pastor Jose Pimentel de Carvalho.
Faltar-me-ia adjetivos para enaltecer a sua memória, não trabalhei no seu profundo e profícuo ministe'rio na AD-Curitiba, porem juntos em muitas reuniões convencionais etc..etc..
Vi e ouvi muitos que ao seu lado trabalhavam dizer com satisfação: Sou cooperador ou faço parte do ministerio do Pr. Pimentel (Como era chamado á sua época)
Um ícone!
Um servo!
Um discipulador!
Um pacificador!
Um "visionário".
Um Mestre
Um exemplo.
Vejamos a seguir o que acho que ele diria a nós:
1. Tenha bons exemplos;
2. Dê exemplos naturalmente, não reforce as próprias qualidades;
3. Fuja de discursos vazios e de falatórios que não levam a nada;
4. Jamais permita que qualquer sistema se torne mais importante do que as pessoas, fuja a todo custo das formalidades;
5. Não desgaste sua imagem se envolvendo com questões desnecessárias, evite os conflitos antes que eles aconteçam;
6. Não importa o que você tenha passado. 
   Cure seu coração. 
   Corações feridos destilam veneno;
7. Lide com o erro de forma sempre positiva, na vida cristã é um absurdo incalculável perder aquele que errou, afinal a igreja deve ser um hospital, um lugar de cura;
8. Pare com o discurso: “você tem que fazer”. 
    Treine para fazer; não fique apenas confiando na autoridade de Deus dada a você, 
    O Próprio Deus espera o seu agir e sua autocapacitação;
9. Conheça o caminho do coração de seu povo, assim suas decisões nunca trarão tristezas;
10. Tenha uma comunicação sempre saudável e produtiva, evite discursos ameaçadores;
11. Seja verdadeiro, mesmo que isto te custe caro. 
     Preste conta;
12. Aprenda a usar os conflitos para ganhar, nunca para perder;
13. Aprenda a honrar e celebrar aqueles a quem Deus lhe entregou para cuidar . 
     Permita que eles se sintam importantes naturalmente e não apenas quando perceber que estão tristes feridos ou machucados;
14. Aprenda o segredo de fazer juntos, não se une um povo, se une com um povo; seja um instrumento da paz e não um justiceiro em nome de Deus;
15. Fuja a todo custo da hipocrisia, na visão de um povo mais vale um fraco verdadeiro do que um falso forte;
16. Deixe a igreja perceber que pode confiar em você, nunca traia, venda ou use aqueles a quem Deus te confiou para ter algum proveito próprio;
17. Não ofereça apenas você, mostre que você tem projetos e vive debaixo de propósitos verdadeiramente divinos;
18. Não venda ilusão, as pessoas querem empenhar suas vidas em algo que realmente valha a pena para elas;
19. Não adie decisões ou ações em que as pessoas estejam envolvidas, isto prova a elas que não são importantes e nem prioridade para você;
20. Nunca prometa o que não pode cumprir e nem comece o que não pode terminar;
21. Aprenda a respeitar a opinião de seus liderados, mesmo que não esteja disposto a se nortear por ela;
22. Aprenda a oferecer resultados consistentes, verdadeiros e visíveis;
23. Invista no crescimento pessoal dos que exercem alguma função na igreja;
24. Não se coloque acima do erro, deixe as pessoas perceberem que você é humano como elas e que pode errar vez por outra.
     Quem se coloca acima da verdade e do erro já decretou sua própria pena;
25. Nunca foque em falhas, aprenda a celebrar qualidades...
     Conselhos para um ministerio sadio e eficaz!

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Pastores e Ovelhas de Fantasia?



Pastores de Fantasia e Ovelhas de Fantasia
É claro demais: não havendo ovelhas, não há necessidade alguma nem de igrejas nem de pastores.
Tão claro quanto: não havendo alunos, não há necessidade nem de escolas, nem de professores; não havendo doentes, não há necessidade nem de hospitais, nem de médicos.
Isto quer dizer que, havendo ovelhas, há necessidade de pastores.
Assim como há decepção mútua entre estudante e professor, há também decepção mútua entre ovelha e pastor.
Os dois tem de saber que a decepção é de ambos os lados.

Assim é mais fácil tratar do problema do relacionamento entre um e outro.
É como se fosse um desconforto conjugal, que exige humildade e diálogo de ambos os cônjuges para recuperar a harmonia perdida.
O problema é antigo e preocupante. 
Há ovelhas que se queixam amargamente de seus pastores e há pastores que se queixam amargamente de suas ovelhas. 
Enquanto Deus se queixa de ambos ou, conforme o caso, só de um deles.
No livro do profeta Zacarias há uma palavra muito dura contra os pastores: “Ai do pastor imprestável, que abandona o rebanho” (Zc. 11:17).
Em outras versões, o “pastor imprestável” tem sido pitorescamente chamado de “pastor de nada”, “pastor de coisa nenhuma” e “pastor de fantasia”.
Esse pastor é aquele que não se preocupa com as ovelhas.
Não procura a que está desgarrada, nem cura as machucadas, nem alimenta as sadias, mas come a carne das ovelhas mais gordas (Zc. 11:16).
O quadro é patético. 
Serve para contrastar com o comportamento do Bom Pastor por excelência.
Se há “pastores de fantasia”, os tais pastores mercenários a quem Jesus se refere (Jo.10:12), pastores sem alma, sem dedicação, sem testemunho, sem autoridade, sem mensagem, há também ovelhas obstinadas, que tapam os ouvidos para não ouvir, como o próprio Zacarias admite (Zc. 7:11).
Há muitos pastores não de fantasia que já não sabem o que fazer por essas ovelhas imprestáveis, essas ovelhas de fantasia.
Um deles, o profeta Jeremias, queixou-se de que pregou em vão durante vinte e três anos, dia após dia (Jer. 23:3).
Outro, o apóstolo Paulo, queixou-se de que suas ovelhas de Corinto, nunca saíram da carnalidade para a espiritualidade, nem do leite para o alimento sólido, nem dos “ensinos elementares” para as “coisas difíceis de entender” (1 Cor. 3:1-3; Hb. 5:11-14).

Fonte: ULTIMATO

REI DAVI....... Do Pastoreio ao Trono de Israel.... Davi, o filho mais novo de Jessé                                            - I...