sábado, 29 de abril de 2017


ADULTÉRIO.......

Não adulterar a Palavra de Deus
Podemos incidir neste erro toda vez que não levarmos a sério o que foi dito a nós através da Bíblia Sagrada!.
Há um clamor chegado ao extremo, onde está aquele povo que teme a Palavra de Deus?
Que a pratica?
Os Púlpitos estão emanando a Palavra de Deus por homens de Deus comprometidos com a mesma?
Sobre isso Paulo assim se manifesta: “Por isso, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade” (2Co. 4.1-2).
Ainda aos coríntios ele ensina: "Não ultrapasseis o que está escrito, a fim de que ninguém se ensoberbeça a favor de um em detrimento de outro" (1Co. 4.6b).
A Timóteo ele adverte: "Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina" (1Tm. 4.16a).
Na sua segunda carta, Pedro chama a atenção para pessoas ignorantes e instáveis que deturpavam tanto as cartas paulinas quanto as demais Escrituras: "Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.
E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.
Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza” (2Pe. 3.14-17).
No primeiro texto, o apóstolo afirma sua conduta sem astúcia e sem adulterar a palavra de Deus.
No segundo, ele chama a atenção para o cuidado que devemos ter no sentido de não ultrapassar o que está escrito, e que, portanto, não pode ser confirmado, para que não nos envaideçamos, achando-nos melhores que os outros crentes, que só conhecem o que está registrado.
Numa época em que as novidades e os modismos se sucedem, não podemos deixar de agir como os judeus de Bereia ao nos depararmos com coisas que, segundo os nossos interlocutores, "funcionam", embora não estejam registradas no texto bíblico.
Isto sem considerar que, em alguns casos, chegam a contrariar princípios escriturísticos.
Outro problema de nossa geração é o desleixo da liderança e o desinteresse dos crentes com respeito ao ensino doutrinário.
O fruto disso é uma geração insegura, sem lastro bíblico, produzindo nas igrejas uma fatia significativa de alta rotatividade.
São cristãos que hoje estão aqui, amanhã ali.
O texto de Pedro faz referência a ignorantes e instáveis, deixando claro que a deturpação das Escrituras pode ter como origem a falta de conhecimento.
Obreiros fieis não podem se dar ao luxo de permitir que coisas dessa natureza aconteçam.

domingo, 16 de abril de 2017

FACCIOSO E INSENSATO

      Textos: I Coríntios 1.1-31

INTRODUÇÃO: A igreja em Corinto era, de todas as igrejas do Novo Testamento, uma das que se encontrava com enormes problemas ao tratar de cumprir a vontade de Deus, Paulo escreve as duas epístolas aos Coríntios esforçando-se para combater alguns dos problemas que acusavam aquela igreja.

I. A POSIÇÃO DA IGREJA (vv. 1-9)

a. Sua situação. (vv. 1-3)
        
- Uma “igreja de Deus”
         
- Composta de santos.
         
- Constituídas por aqueles que estavam “chamados a ser santos”.

b. Sua adoção (vv. 4-9)
         
- A graça de Deus. (v.4)
         
- O enriquecimento Espiritual. (v.5)
         
- O testemunho confirmado. (v.6)
         
- Não inferiores a nada em muitas coisas. (v.7a)
         
- Expectativa da volta do Senhor. (v.7b)
         
- Salvo o dia do juízo. (v.8)
         
- Em comunhão com um Deus fiel. (v.9)

II. O PROBLEMA DA IGREJA (vv. 10-31)

O problema fundamental de que adoeciam era que não estavam vivendo conforme a posição que tinham.

a. Descrição de uma divisão
         
- A chave de divisões entre vós. (v.10)
         
- Paulo havia informado disto (v.11)
         
- É inevitável que onde há divisão haja contendas.

b. A situação
         
- Quatro partidos presentes.

c. Exame e denúncia da divisão. (vv.13-17)
         
Três perguntas para examinar (v.13)
                   
Acaso Cristo está dividido?
                   
Foi acaso Paulo crucificado por nós?
                
  Fostes batizados em nome de Paulo?
         
O argumento denunciado. (vv. 14-17)

c. Soluções sugeridas. (vv. 18-31)
         
Dois problemas verdadeiros envolvidos.
                   
A adesão à sabedoria humana.
                   
Orgulho pessoal.
         
Dois problemas verdadeiros atacados.
                   
Se mostra a inutilidade da sabedoria human
Se faz estourar a bolha do orgulho.


CONCLUSÃO: 

Esta é uma carta designada para todas as igrejas, declara que uma igreja é o resultado de uma carnalidade que se faz patente a um desejo de sabedoria humana e do orgulho da posição pessoal. 

A solução das divisões causadas por carnalidade reside no reconhecimento da superioridade da sabedoria de Deus e o reconhecimento da insignificância do eu.

REI DAVI....... Do Pastoreio ao Trono de Israel.... Davi, o filho mais novo de Jessé                                            - I...